Região Norte Fluminense | Notícias Noroeste Fluminense | Entre Cidades

Deus seja louvado!

Notícias Brasil

Vera diz que irá zerar repasses para serviços da iniciativa privada

Candidata à presidência da República pelo PSTU afirmou ainda durante campanha ser contra a proposta de Reforma Administrativa, atualmente em tramitação.

Vera diz que irá zerar repasses para serviços da iniciativa privada
© Agência Brasil
IMPRIMIR
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

A candidata do PSTU à Presidência da República, Vera Lucia Pereira, disse hoje (19) que, se eleita, irá zerar os repasses de dinheiro público para as empresas privadas que atuam na área pública. A candidata afirmou ainda ser contra a proposta de Reforma Administrativa, atualmente em tramitação.  

“Vamos fortalecer os serviços públicos. Por isso, repudiamos a proposta de Reforma Administrativa que hoje tramita no Congresso Nacional. Ela tem como objetivo central entregar os serviços públicos para a iniciativa privada. Nós vamos fazer o contrário. Vamos zerar qualquer tipo de repasse do dinheiro público para os serviços ofertados pela iniciativa privada”, disse a candidata.

Vera ressaltou que 100% das verbas de saúde e educação serão destinadas ao serviço público. “Vamos garantir melhores condições de trabalho e melhores salários aos servidores públicos, ampliar a oferta de serviços públicos, o que vai gerar novas vagas de empregos que serão ocupadas por servidores concursados”, acrescentou.

Notícias relacionadas:Bolsonaro: não fechei comércio na pandemia para evitar desemprego.Lula diz que cuidado de idosos tem que ser serviço público.Simone Tebet defende redução temporária de recolhimento do INSS .Vera ressaltou que 100% das verbas de saúde e educação serão destinadas ao serviço público. “Vamos garantir melhores condições de trabalho e melhores salários aos servidores públicos, ampliar a oferta de serviços públicos, o que vai gerar novas vagas de empregos que serão ocupadas por servidores concursados”, acrescentou.

FONTE/CRÉDITOS: Bruno Bocchini - Repórter da Agência Brasil
Comentários:

Veja também