O Seu Portal De Notícias !

Deus seja louvado!
Supermercados Fluminense
Supermercados Fluminense

Notícias Câmara dos Deputados

Projeto permite que o Ministério Público requisite dados de redes sociais de agressor de mulher

A Câmara dos Deputados analisa a proposta

Projeto permite que o Ministério Público requisite dados de redes sociais de agressor de mulher
Mario Agra / Câmara dos Deputados
IMPRIMIR
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando
Mario Agra / Câmara dos Deputados
Rogéria: é imprescindível entender a violência doméstica de forma multidisciplinar

O Projeto de Lei 666/24 determina que o Ministério Público requisite dados telefônicos, informações de cadastro em redes sociais e de acesso às comunicações nessas redes, quando houver risco à vida da mulher em situação de violência doméstica e familiar. A requisição deverá ser feita ao juiz responsável pelo caso. 

“A proteção ao sigilo das comunicações e informações de cadastro em redes sociais não consubstancia direito absoluto", argumenta a autora da proposta, deputada Rogéria Santos (Republicanos-BA). Esse direito, explica a parlamentar, pode ser diminuído quando houver  interesse público. "Como nos casos graves de iminente risco em situação de violência doméstica”, exemplifica Rogéria. 

Em análise na Câmara dos Deputados, o texto insere a medida na Lei Maria da Penha, que hoje lista como atribuições do Ministério Público, nos casos de violência doméstica:

Continua depois da publicidade

Leia Também:

requisitar força policial e serviços públicos de saúde, de educação, de assistência social e de segurança; fiscalizar estabelecimentos públicos e particulares que atendem a mulher em situação de violência doméstica e familiar, e adotar, de imediato, as medidas administrativas ou judiciais cabíveis em relação a irregularidades constatadas; cadastrar os casos de violência doméstica e familiar contra a mulher.

Tramitação A proposta será analisada em caráter conclusivo pelas comissões de Defesa dos Direitos da Mulher; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Saiba mais sobre a tramitação de projetos de lei

 

 

FONTE/CRÉDITOS: Agência Câmara Notícias
Comentários:

Venha fazer um Bom Negócio!

Cadastre-se agora!